Seguro DPVAT 2018

Compartilhe com os seus amigos:

Segundo o Significados, a sigla DPVAT  significa  “Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres”. É um seguro obrigatório que é válido para quem sofre danos por veículos ou por suas cargas.

Vítimas de danos por veículos tem direito a esse pagamento para custear despesas hospitalares, medicamentos, por exemplo. Quando o dano é grave e leva a invalidez ou a óbito o pagamento tem maior valor.

Nesse texto vamos explicar como funciona e como você pode obter o seguro!

Onde posso dar entrada no seguro DPVAT?

O controle de pagamento e avaliação de documentação, em 2018, é feita pela Seguradora Lider-DPVAT. Nesse site é possível saber de forma detalhada documentos necessários e outras informações.

Eles oferecem mais de 8 mil pontos de atendimento em todo o Brasil. Entrando em seu site, você pode escolher o estado e município. Informações como: Dias de funcionamento, horário de funcionamento e endereço, são de fácil acesso.

Para isso é bastante simples, basta seguir nosso guia:

  1. Entre no site da Seguradora responsável pelo pagamento do DPVAT: https://www.seguradoralider.com.br/Pages/Pontos-de-Atendimento-Autorizados.aspxdpvat 2018
  2. Escolha o estado em que você deseja atendimento e clique em cima dele.
  3. Em seguida escolha a cidade em que você reside na caixa que irá aparecer ao lado.
  4. Irá aparecer o local de atendimento lodo na direita. Anote e compareça com todos os seus documentos necessários. Caso você não saiba que documento você precisa levar, desça um pouco no texto que disponibilizamos uma tabela com todos que são necessários.
  5. PRONTO!

Agora você já sabe como realizar o pedido do seu Seguro DPVAT, vamos também saber qual é o valor do benefício e quanto você irá receber, dependendo do grau de invalidez.

Valores do DPVAT 2018

O valor desse seguro é pago junto ao IPVA, na primeira parcela e varia entre R$50,00 e R$200,00. Deve ser pago anualmente e quando não for pago o proprietário do veículo fica passível de punição. O fator determinante para o preço é o tipo de veículo.

Tipo de carro Valor a ser pago
Automóveis e camionetas ​​particulares / oficial, missão diplomática, corpo consular e órgão internacional. R$ 45,72
Táxis, carros de aluguel e aprendizagem. R$ 45,72
Ônibus, micro-ônibus e lotação com cobrança de frete (urbanos, interurbanos, rurais e interestaduais). R$ 164,82
Micro-ônibus com cobrança de frete mas com lotação não superior a 10 passageiros e ônibus, micro-ônibus e lotações sem cobrança de frete (urbanos, interurbanos, rurais e interestaduais). R$ 103,78
Ciclomotores. R$ 57,61
Motocicletas, motonetas e similares. R$ 185,50
Caminhões, caminhonetas tipo “pick-up” de até 1.500 Kg de carga, máquinas de terraplanagem e equipamentos móveis em geral (quando licenciados) e outros veículos. R$ 47,66

seguro dpvat 2018

É válido lembrar que veículos de reboque são isentos do pagamento do seguro, quem deve pagar é o veículo tracionado.

As categorias de automóveis e caminhonetes, Taxis e caros e caminhões tipo “Pick-up”, não tem direito ao parcelamento do seguro.

Os veículos como ônibus, micro-ônibus e lotação de cobrança, Micro-ônibus com cobrança de frete mas com lotação não superior a 10 passageiros e ônibus e Motocicletas, motonetas e similares podem parcelar o valor do seguro em até três vezes.

Valores das indenizações do Seguro DPVAT 2018

Os valores variam de acordo com a gravidade do dano sofrido pela vítima.

Quando a vítima tem ferimentos e precisa de cuidados hospitalares e medicamentos, o valor varia de acordo com a gravidade dos ferimentos, podendo chegar a até R$ 2.700,00.

Existem casos em que a vítima faz todo o tratamento médico e ainda assim, obtém seqüelas, podendo assim ser considerada inválida permanentemente.  O pagamento do seguro, pode chegar a ser de até R$13,500.00, valor esse que varia de acordo com o grau de invalidez que for constatado.

É válido salientar que em caso de invalidez permanente, o prazo para a solicitação do benefício conta 3 anos a partir do dia que foi emitido o laudo indicando consciência do dano.

Existem casos em que as vítimas não resistem e vão a óbito. Nessas situações uma indenização de R$13.500,00 é paga  a família da vítima.

No caso do DPVAT, as indenizações são pagas independente de quem seja responsável pelo acidente ou do número de vítimas envolvidos. Portanto, cada pessoa recebe um valor individual e que diz a respeito ao dano que foi provocado.

A entrada no benefício só pode ser dada pela própria vítima ou pelo beneficiário, sendo cônjuge  não separado judicialmente ou herdeiros, por exemplo.

Terceiros que precisarem ou se tornarem responsáveis por dar entrada no seguro, só podem fazer isso através de uma procuração feita pela vítima.

Vale a pena lembrar que o DPVAT cobre apenas os três tipos de despesa a cima. Despesas jurídicas ou para reparos do veículo, por exemplo, não estão inclusas.

Se um brasileiro se envolver em um acidente no exterior e causar algum dano para alguma vítima, o DPVAT não pode cobrir tendo em vista que só está em exercício em território nacional.

Em países do Mercosul, por exemplo, que mesmo tento ligação comercial com o Brasil, o DPVAT não cobre e é necessário a solicitação da Carta verde, que é um seguro bem parecido.

dpvat

Documentos necessários para dar entrada no DPVAT 2018

  • Documentos para despesas médicas:

Os documentos para a vítima conseguir dar entrada no seguro são: O boletim de ocorrência, deve ser a cópia autenticada ou o documento original, uma declaração do proprietário do veículo, RG (ou CNH, Carteira de Trabalho, Certidão de Casamento ou de Nascimento), CPF, comprovante de residência.

Será pedido também uma cópia simples do Boletim do primeiro atendimento médico-hospitalar ou relatório do médico informando quais as lesões sofridas pela vítima e o tratamento realizado e caso seja necessário uma cópia simples do relatório do dentista (se for o caso) informando as lesões sofridas pela vítima.

Esses documentos acabam mudando quando a vítima arca com as suas próprias despesas médicas: Documentos originais como os Comprovantes das despesas, contendo discriminação dos honorários médicos e despesas médicas, acompanhados das respectivas requisições e/ou receituários médicos  a autorização de pagamento são pedidos.

Informações retiradas de https://www.seguradoralider.com.br/Pages/Documentacao-Despesas-Medicas.aspx

Os documentos para a vítima conseguir dar entrada no seguro para essa categoria são: O Boletim de ocorrência, sendo ele original ou cópia autenticada, Declaração do proprietário do veículo, sendo esse documento exigido em acidentes de motocicleta, no qual o Boletim de ocorrência tenha sido emitido no ato.Documentos de Invalidez permanente:

Cópia simples do RG da vítima (ou CNH, Carteira de Trabalho, Certidão de Casamento ou de Nascimento), CPF da vítima, Laudo do Instituto Médico Legal, IML da localidade em que aconteceu o acidente, informando a exte​​nsão das lesões físicas ou psíquicas da vítima e, ainda, o seu estado de invalidez permanente, podendo ser o documento original ou cópia autenticada e boletim de atendimento hospitalar ou ambulatorial (BAM).

Em caso de dúvida quanto às lesões terem sido provocadas pelo acidente, poderá ser pedido o documento Relatório de Internamento Hospitalar, Comprovante de residência e Autorização de pagamento.

Documentos em caso de morte para o Seguro

Essa é uma categoria complexa e que é dividido em sub divisões, falaremos de algumas delas:

1. Vítima não deixou cônjuge, nem companheiro(a) e não deixou herdeiros legais

O Boletim de ocorrência, sendo ele original ou cópia autenticada, a cópia autenticada da certidão de óbito, Pode ser pedido a cópia autenticada do Laudo de exame emitido pelo IML da localidade, cópias simples do RG da vítima (ou CNH, Carteira de Trabalho, Certidão de Casamento ou de Nascimento) e do CPF.

2.Vítima não deixou cônjuge, tinha companheiro(a) e deixou descendentes

Os documentos da vítima que serão pedidos são:  Boletim de ocorrência, sendo ele original ou cópia autenticada, cópia autenticada da certidão de óbito, pode ser solicitado também o laudo do exame emitido pelo IML da localidade e também cópias simples do RG da vítima (ou CNH, Carteira de Trabalho, Certidão de Casamento ou de Nascimento) e do CPF.

Na categoria de beneficiário, como companheiro podem ser pedidos os seguintes documentos:  Cópias simples do RG (ou CNH, Carteira de Trabalho, Certidão de Casamento ou de Nascimento) e do CPF do beneficiário, comprovante de residência e Autorização de pagamento.

É solicitado também Prova de Companheirismo junto ao INSS ou declaração de dependente junto à Receita Federal, podendo ser também a prova de dependência através da Carteira de Trabalho ou Alvará Judicial.

Ainda na categoria de beneficiários os descendentes são incluídos, são pedidos os seguintes documentos:  Cópias simples do RG (ou CNH, Carteira de Trabalho, Certidão de Casamento ou de Nascimento) e do CPF, se a pessoa em questão for maior de 16 anos.

É solicitado também Declaração de Únicos Herdeiros, com duas testemunhas, informando o estado civil da vítima, se deixou ou não mais filhos ou companheiro(a), comprovante de residência e Autorização de pagamento.

3. Vítima separada judicialmente, tinha companheiro(a), deixou herdeiros legais

Como documentos da vítima são solicitados: Boletim de ocorrência, sendo ele original ou cópia autenticada, cópia autenticada da certidão de óbito.

São pedidos também a cópia autenticada do Laudo de exame emitido pelo IML da localidade, cópias simples do RG da vítima (ou CNH, Carteira de Trabalho, Certidão de Casamento ou de Nascimento) e do CPF.

Como documentos dos beneficiários são solicitados: Cópia simples da frente e do verso do RG da vítima (ou CNH, Carteira de Trabalho, Certidão de Casamento ou de Nascimento), cópia simples da Certidão de Casamento, com data de emissão atual e averbação da separação, cópia simples do CPF do cônjuge beneficiário, comprovante de residência e Autorização de pagamento, que pode ser impressa no site responsável pelo pagamento do seguro.

É solicitado também Prova de Companheirismo junto ao INSS ou declaração de dependente junto à Receita Federal, podendo ser também a prova de dependência através da Carteira de Trabalho ou Alvará Judicial.

Ainda na categoria de beneficiário mas agora como descendestes são pedidos: Ainda na categoria de beneficiários os descendentes são incluídos, são pedidos os seguintes documentos:  Cópias simples do RG (ou CNH, Carteira de Trabalho, Certidão de Casamento ou de Nascimento) e do CPF, se a pessoa em questão for maior de 16 anos.

É solicitado também Declaração de Únicos Herdeiros, com duas testemunhas, informando o estado civil da vítima, se deixou ou não mais filhos ou companheiro(a), comprovante de residência e Autorização de pagamento.

Leia também:

Compartilhe com os seus amigos:

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *